PREVENIR O MELHOR REMÉDIO

Talvez essa seja a primeira vez na história da humanidade que o mundo inteiro esteja passando pela mesma crise em conjunto. Não importa sua nacionalidade, a cor da sua pele, se seu pais é do G8 ou G20, ou subdesenvolvido. O coronavírus está aí, e mesmo que ele não te infecte, ele com certeza já mudou a sua vida.

Desde o começo de março, a pandemia está alterando o funcionamento da sociedade brasileira. Termos como distanciamento social, transmissão sustentada e até home office começaram a aparecer no dia a dia do brasileiro. Junto com esse novo vocabulário, a incerteza foi algo que começou a entrar na vida de todo mundo.

Essa incerteza pode vir desde não sabermos como lidar com a pandemia, passando pela mudança da nossa rotina, até o medo de ficarmos sem dinheiro e mantimentos no fim do mês. Tudo está mudando e está mudando rápido. E essa incerteza pode nos tirar do prumo.

A agitação causada pelo coronavírus – Covid-19 , está por todo o lado.

E muitos estão ansiosos, preocupados e confusos. Isso é absolutamente natural.

Estamos enfrentando uma ameaça à saúde como nenhuma outra em nossas vidas.

Enquanto isso, o vírus está se espalhando, o perigo está crescendo e nossos sistemas de saúde e vidas cotidianas sendo severamente testados.

Os mais frágeis são os mais afetados, particularmente nossos idosos e os que têm condições médicas pré-existentes, pessoas sem acesso a cuidados de saúde confiáveis e que estão em situação de pobreza ou vivendo à margem.

As consequências sociais da pandemia afetarão a maioria de todos nós por alguns meses.  Mas a propagação do vírus atingirá o pico, em dado momento vamos nos recuperar, conforme várias vezes ao longo da história da humanidade. E hoje está aí como testemunha das situações já vividas por nós.

Até lá, devemos agir juntos para diminuir a propagação do vírus e cuidarmos um do outro.   Este é um momento para prudência, não para pânico. Para ciência, não para estigma ou orgulho. Para fatos, não para medo.

Embora a situação tenha sido classificada como uma pandemia, nós podemos controlá-la.  Podemos desacelerar as transmissões, prevenir infecções e salvar vidas.  Mas isso exigirá uma ação pessoal, sem precedentes.

1

O QUE É O CORONAVÍRUS?

Os coronavírus são uma grande família viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais.

Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Porém, alguns coronavírus podem causar doenças graves com impacto em termos de saúde pública, como já verificado com a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), identificada em 2002 e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), identificada em 2012.

2

QUAL É A DIFERENÇA NESSE NOVO CORONAVÍRUS PARA OS OUTROS (SARS E MERS)?

A doença provocada pelo novo Coronavírus é denominada oficialmente como COVID-19, sigla em inglês para “coronavirus disease 2019” (doença por coronavírus 2019, na tradução). 

Vírus que causa doença respiratória pelo agente coronavírus, com casos recentes registrados na China e em outros países. 

Quadro pode variar de leve a moderado, semelhante a uma gripe. Alguns casos podem ser mais graves, por exemplo, em pessoas que já possuem outras doenças. Nessas situaçōes, pode ocorrer síndrome respiratória aguda grave e complicações. Em casos extremos, pode levar a óbito.
 

3

EXISTE VACINA PARA PREVENÇÃO AO CORONAVÍRUS?

Até o momento, não. No entanto, cientistas ao redor do mundo e também aqui em SP, como as equipes do Instituto Butantan, já iniciaram pesquisas para um possível desenvolvimento de vacina. Ainda é precoce indicar se e quando ela estará disponível no mundo.